Túnel do Tempo

100 anos da Estrada de Ferro Machadense

 

Um encontro do presente com o passado. Um olhar para o futuro... Embarque nesta viagem!

 
 
 

Linha do tempo

Governador do Estado de Minas Gerais, Arthur da Silva Bernardes, sanciona a Lei Nº 760/20, com promessa de subvenção à construção de estrada de ferro, como estímulo ao desenvolvimento regional e estadual.

Dr. Flávio de Salles Dias, Dr. Edwar Dias e Joaquim Paulino da Costa criam a Empresa Estrada de Ferro Machadense, estimulados pela Lei Nº 760/20 e obtêm do Governo, através do Decreto Nº 5.897, privilégio para a construção da ferrovia.

Início das obras da Estrada de Ferro Machadense a partir da Estação de Alfenas em direção a Machado. Trabalho exige exaustivo esforço humano e uso de meios de transporte e ferramentas rudimentares como carroças, foices e machados.

Inauguração da Estação Caiana, primeiro trecho da Estrada de Ferro Machadense, num percurso de 26,9 km. Caiana foi importante ponto de embarque de mercadorias, dentre elas, café, gado bovino e suíno, bem como de passageiros.

blank

Inauguração oficial do trecho completo da Estrada de Ferro Machadense, na Estação de Machado, numa extensão total de 41,3 km, em bitola de 1 metro. Presidente do Estado, Dr. Antônio Carlos, chega de trem especial e é recebido com grande festa e homenagens na cidade.

blank

Incorporação do ramal da Estrada de Ferro Machadense pelo Estado (Rede Sul-Mineira de Viação). Proposta foi do machadense, Deputado Estadual Flávio de Salles Dias, Presidente da Empresa Estrada de Ferro Machadense. Empresa estava mergulhada em grave crise financeira.

Última viagem pelos trilhos da Estrada de Ferro Machadense. Momento histórico foi vivido e registrado por família machadense ligada à história da ferrovia. Ramais ferroviários do Sul de Minas foram extintos para a construção da Hidrelétrica de Furnas.

Memória da ferrovia é resgatada nas comemorações do Centenário da Cidade. Locomotiva a vapor Baldwin 205, uma das máquinas que circularam pela Estrada de Ferro Machadense volta à cidade, para integrar acervo do recém fundado Museu Histórico Municipal.

blank

Criação do Museu Ferroviário e do Café Machadense pelo Instituto Machadense de Artes e Ciências-IMAC. Objetivo principal é a preservação e a divulgação da história da Estrada de Ferro Machadense e da cafeicultura, principal fonte de riqueza da economia local e regional.

Com atividades paralisadas desde início do ano em razão da Pandemia da Covid-19, quando abriria suas portas ao público, o Museu Ferroviário e do Café Machadense conseguiu, por meio de recurso da Lei de Emergência Cultural (Lei Aldir Blanc), implantar sua Plataforma Virtual e, através dela, exibir seu acervo. Cumpre, assim, sua função educacional, cultural e social.

Contato